terça-feira, 14 de novembro de 2017

“SEMANA CULTURAL – MS EM CENA – 11.ª REPRESENTAÇÃO” TERÁ SEIS ESPETÁCULOS TEATRAIS NA SUA PROGRAMAÇÃO EM TRÊS LAGOAS


 O evento será realizado de 14 a 19 de novembro com espetáculos gratuitos a toda população

O Grupo de Teatro Identidade idealiza em Três Lagoas o Projeto “Semana Cultural – MS EM CENA – 11.ª Representação”, juntamente com a Prefeitura de Três Lagoas através do Departamento de Cultura, da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis, e com o investimento da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul – FCMS, do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul. Neste ano contamos com o patrocínio do SICREDI e ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE TRÊS LAGOAS, apoios imprescindíveis para a concretização da proposta. O evento é realizado anualmente desde 2007 com o objetivo de levar o teatro e outras artes relacionadas à comunidade, oferecendo cultura e entretenimento, concretizando a formação de plateia. A proposta visa realizar um ciclo anual de apresentações de peças teatrais e outras atividades culturais, produzidas para o público infantil ou adulto, buscando novas formas de estímulo aos grupos locais e de outras regiões do Estado de Mato Grosso do Sul, bem como de outros Estados e Regiões do País, que pretende valorizar o teatro enquanto recurso de lazer, cultura e conscientização dos problemas sociais que afligem a sociedade brasileira.

O evento objetiva promover o intercâmbio entre grupos teatrais da região de Três Lagoas/MS, do Estado de Mato Grosso do Sul e de outros grupos representativos de demais Estados e regiões do País. Visa destacar e divulgar as atividades artísticas, promover a interação entre os processos de criações teatrais, valorizar as artes cênicas e incentivar as manifestações culturais produzidas no município de Três Lagoas e em Mato Grosso do Sul, formar público e plateia, conscientizando-os, e respaldar a inserção de novos fazedores cênicos.

A 11.ª REPRESENTAÇÃO

O evento será realizado no município de Três Lagoas, no período de 14 a 19 de Novembro de 2017, em locais específicos para a realização das apresentações: no Salão Multiuso da Diretoria de Cultura, No auditório da UFMS – Unidade II (Em frente à Mabel), na Praça Ramez Tebet e no Galpão da Antiga N.O.B. Todas as atividades da Semana Cultural serão gratuitas, direcionadas a toda população três-lagoense.

O público interessado em prestigiar os espetáculos que ocorrerão no AUDITÓRIO DA UFMS – UNIDADE II, no Salão MULTIUSO e no Galpão da N.O.B, deverá retirar os ingressos com UMA HORA DE ANTECEDÊNCIA.

Teremos na programação do evento 06 (seis) ESPETÁCULOS TEATRAIS. Sendo 2 (dois) Espetáculos de Rua, 3 (três) Espetáculos Espaços Alternativos e 1 (um) Espetáculo de Palco Italiano.

A arte de representar se constitui em uma atividade das mais ricas e completas. O teatro possibilita, entre outras coisas, que a criança e o jovem interajam com conceitos e desenvolvam a aprendizagem de maneira espontânea e prazerosa. Nesse sentido, o projeto “Semana Cultural – MS EM CENA – 11.ª Representação” tem o objetivo de realizar os atrativos teatrais.

Abaixo apresentamos o resumo da programação.

Cartaz do Evento, que terá sua décima primeira Edição em 2017

RESUMO DA PROGRAMAÇÃO  TERÇA-FEIRA – 14/11

19h “ABERTURA DO EVENTO” Local: Salão Multiuso Diretoria de Cultura

20h “BOBORREI”

Grupo de Teatro Rio Bravo – Campo Grande/MS
Local: Salão Multiuso – Diretoria de Cultura Gênero: Comédia
Direção: O Grupo Classificação: Livre Duração: 50 minutos 

 QUARTA-FEIRA – 15/11 20h

“CADÊ?”
Cia. Aplausos – Campo Grande/MS
Local: Praça Ramez Tebet – Centro Gênero: Comédia
Direção: Tathy de Meo Classificação: Livre Duração: 50 minutos

 QUINTA-FEIRA – 16/11 20h

“TECENDO SAUDADE”
Cia. Concordância Visceral – Três Lagoas/MS
Local: Galpão da N.O.B Gênero: Drama Romântico
Direção: O Grupo Classificação: 10 anos Duração: 40 minutos 

 SEXTA-FEIRA – 17/11 20h

“OS GUARDIÕES”
Teatral Grupo de Risco – Campo Grande/MS
Local: Galpão da N.O.B Gênero: Drama
Direção: Roma Román Classificação: 14 anos Duração: 45 minutos 

 SÁBADO – 18/11 20h

“ÓPERA DO MALANDRO”
Grupo Fulano Di Tal – Campo Grande/MS
Local: Anfiteatro da UFMS – Unidade II Gênero: Teatro Musical
Direção: Marcelo Leite Classificação: 10 Anos Duração: 80 minutos 

 DOMINGO – 19/11 20h

“TERRA ABAIXO, RIO ACIMA”
Cia. Cênica – São José do Rio Preto/SP
Local:Praça Ramez Tebet – Centro Gênero: Teatro Musical Brasileiro
Direção: Fagner Rodrigues Classificação: Livre Duração: 60 minutos

Três Lagoas/MS, 09 de novembro de 2017 Informações: 67-3929-9984 http://www.teatro.identidade.blogspot.com/

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Programação Cultural no Teatral Grupo de Risco neste novembro e dezembro! Confiram!!!

Para facilitar o acompanhamento e a organização de sua agenda nestes dois meses (novembro e dezembro), segue a Programação Cultural que ocorrerá no espaço do Teatral Grupo de Risco. Agendem-se e participem!!!! 

PROGRAMAÇÃO NOVEMBRO NO TEATRAL GRUPO DE RISCO

03, 04 e 05/11 – Sexta-feira, sábado e domingo:
I MOSTRA DE ARTE E COMICIDADE FEMININA
Com Aplausos Cia Teatral e Guavira S/A por meio do projeto Laboratório do Humor
Horário: 19h30 (sexta e sábado), domingo às 17h
https://www.facebook.com/AplausosCiaTeatral/

04/11 – Sábado:
Oficina Teatral 
Com Yago Garcia e Ewerton Goulart 
Horário: 14h as 16h
Contato: 9 9236 1849 ou 9 9615-8686
https://www.facebook.com/yago.garcia.129 

11 e 12/11 – Sábado e domingo:
Estreia Espetáculo Entrelaces
Com Coletivo Usina
Horário: 20h
Ingressos: Inteira 20 reais.
Meia: 10 reais.
https://www.facebook.com/coletivoartisticousina/

18/11 – Sábado:
Oficina Teatral 
Com Yago Garcia e Ewerton Goulart 
Horário: 14h as 16h
Contato: 9 9236 1849 ou 9 9615-8686

19/11 – Domingo:
Monólogo Suicídio projeto da PROEC UEMS
Contato: José Carlos josecarlossouza@uol.com.br
Horário: 19h

21 à 26/11 – Segunda-feira à domingo:
IV Mostra Fulano di Tal
Horário: 19h30
Ingressos: $20 e $10 (na compra antecipada todos pagam $10). 
Contato: Whatsapp: (67) 9 9202-0449 E-mail: fulanoteatro@gmail.com
https://www.facebook.com/events/142021216431491/

25/11 – Sábado:
Oficina Teatral 
Com Yago Garcia e Ewerton Goulart 
Horário: 14h as 16h
Contato: 9 9236 1849 ou 9 9615-8686

PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO/2017 NO TEATRAL GRUPO DE RISCO

01, 02 e 03/12 – Sexta-feira, sábado e domingo:
Oficina com Jair Damasceno
Horário: 18h
Contato: 9 8112-2339
https://www.facebook.com/jairdamasceno

02/12 – Sábado:
Oficina Teatral
Com Yago Garcia e Ewerton Goulart 
Horário: 14h as 16h
Contato: 9 9236 1849 ou 9 9615-8686

07/12 – Quinta-feira:
Apresentação Atividades UEMS
Contato: Profº Fernandes Ferreira
https://www.facebook.com/fernandes.ferreiradesouza

09 e 10/12 – Sábado e Domingo:
Apresentação Circundun: Banquete Palhaçada!
Horário: 19h30
Com Ciado 1
Contato: Pietro Lara
https://www.facebook.com/pietro.falcao.7

14/12 - Quinta-feira:
Apresentação Orquesta UFMS
Contato: Felipe Brito
https://www.facebook.com/profile.php?id=100007986279557

TEATRAL GRUPO DE RISCO
Rua José Antônio, 2170 - Jd Brasil Cep 79010-190
Contato: 67 3042 8262 teatralgrupoderisco@gmail.com 

domingo, 5 de novembro de 2017

Mostra de Artes e Comicidade Feminina

A programação da 1ª Mostra de Artes e Comicidade Feminina, realizada pelo Laboratório de Humor, conta com diversas atrações. Desde sexta-feira (03) as atividades acontecem envolvendo várias artistas de Mato Grosso do Sul de diversas áreas das artes. Hoje a programação segue com debate, música, poesia e palhaçaria, confiram:

05/11 Mulheres nas Artes 
17h Roda de Conversa “ Mulheres e a Produção Artística “
19h Sarau
Música: Ana Cabral, Kelly Zerial , Marta Céu Laura Alves e palhinhas...
Dança: Grupo Femme , Michelli Dominiq e Shakti Fusion Dança Tribal
Performance Poética : A Florista com atriz Angela Montealvão 
Intervenção: Palhaças do Cabaré


segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Apresentação teatral em Alcinópolis

O Teatral Grupo de Risco (TGR), apresenta na próxima quarta-feira (25) a intervenção teatral “Infância não tem Preço”, na cidade de Alcinópolis/MS. São 03 apresentações que compõe a Campanha 06 de Outubro – Enfrentamento ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O TGR ressalta em seus trabalhos a preocupação com outras esferas da sociedade, além das artísticas, com a preocupação e consciência de que a arte é instrumento de inclusão, cidadania e transformação social.

As apresentações ocorrerão na quadra de Esportes C.A.C.A, Escola Estadual Profª Romilda C. Carneiro para crianças e adolescentes da rede pública de ensino. O projeto está sendo desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social por meio do CREAS, em parceria com a prefeitura, e com o apoio do CRAS, Conselho Tutelar, CACA (Centro de Atendimento da Criança e do Adolescente).

INFÂNCIA NÃO TEM PREÇO, é uma intervenção teatral que busca resgatar e fomentar brincadeiras coletivas de integração e convívio mútuo, colocando alguns conflitos que possam aparecer nesta fase. A interação como uma forma de ativar o senso criativo da infância e as dinâmicas numa convivência social. Ao mesmo tempo, alerta para as questões de abusos que podem ocorrer neste período, incentivando a criança e/ou adolescente a identificarem e reagirem preventivamente. A intervenção ativa o imaginário da criança e valoriza as brincadeiras populares. Com figurinos coloridos e música ao vivo, a platéia é convidada a brincar junto.

FICHA TÉCNICA

Roteiro: Teatral Grupo de Risco
Produção: Teatral Grupo de Risco
Elenco: André Tristão, Ewerton Goulart, Fernanda Kunzler e Yago Garcia
Cenografia: Márcia Gomes
Sonoplastia: Teatral Grupo de Risco
Duração: 25 min

CONTATO: Fernanda Kunzler (67) 9 9241-6227 // 3042 8262
e-mails: teatralgrupoderisco@gmail.com

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

MALEFÍCIOS DO TABACO SE APRESENTA HOJE


A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul em pareceira com o Teatral Grupo de Risco apresenta o espetáculo teatral OS MALEFÍCIOS DO TABACO com o Grupo Identidade Teatral. Acontecerão duas apresentações gratuitas nos dias 22 e 23 de setembro às 19h30 no Teatral Grupo de Risco (Rua José Antônio, 2170). 

A Peça
Regada de humor cáustico, a peça é uma colagem entre duas obras do dramaturgo e contista russo AntonTchekhov: o monólogo que leva o nome da peça (“Os Malefícios do Tabaco”) e o conto “Um Entre Muitos”. 

A adaptação e montagem cênica partem da incrível semelhança entre o monólogo e o conto; ambos contem situações tão análogas de opressão que, uma vez colados um ao outro, já não parecem mais obras díspares. Desse modo a adaptação é um texto que fala da vida de um personagem, Ivan, que tem raízes em dois enredos comuns.

A peça estreou em 2014, já está em sua nona temporada e foi contemplada com financiamento do Programa Municipal de Fomento ao Teatro, da Prefeitura de Campo Grande (Fonteatro). A supervisão cênica é de Cristiane Araújo; iluminação de Camila Jordão; operador de iluminação fica a cargo de Steephen Abrego; sonoplastina de Jonas Feliz; em cena, Marcos Alexandre, com texto de Anton Tchekhov.

O Grupo Identidade Teatral existe desde 1.994, e tem voltado suas produções para peças mais leves, como comédias e peças infantis. Produziu em 2013 o Festival da Comédia. A escolha por textos cômicos veio da busca por estreitar a relação com o público, como uma forma de aproximação.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

JURISTAS PELA DEMOCRACIA-MS REPUDIAM CENSURA À ARTE LIVRE E A CRIMINALIZAÇÃO DOS ARTISTAS

O coletivo Juristas pela Democracia-MS vem por meio da presente nota repudiar o ato de censura à liberdade artística ocorrido no último dia 14 de setembro, que teve como ápice a apreensão pela Polícia Civil da tela “Pedofilia”, uma das obras da exposição “Cadafalso”, da artista plástica mineira Alessandra Cunha, que está desde junho deste ano no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (MARCO), arbitrariedade cometida após os deputados Coronel David (PSC), Herculano Borges (Solidariedade) e Paulo Siufi (PMDB) registrarem Boletim de Ocorrência junto à Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA).

Os parlamentares estaduais e o delegado da DEPCA viram uma obra de arte que expressava nitidamente uma denúncia da violência machista e da pedofilia como apologia à pedofilia! Em vídeo que teve ampla repercussão, o delegado responsável pela apreensão chegou ao descabimento de afirmar que o quadro incentiva o crime de estupro de vulnerável e induz pedófilos à satisfação da lascívia, referindo-se de modo indevido ao museu como “local do crime”. Para coroar o sem número de abusos, violações e absurdos, ainda ameaçam incluir a artista no Cadastro Estadual de Pedófilos, outra excrescência produzida pela maioria do legislativo estadual, bem como instituir censura prévia, ou seja, a obrigatoriedade de que seja fornecida anteriormente lista das exposições previstas por determinado período para que seja possível averiguar o conteúdo de cada uma delas.

A atitude do delegado configura claramente abuso de autoridade, já que não há tipicidade penal ao menos em tese que seja apta a configurar o crime de apologia ao crime, isto é, não há nada que justifique apreender uma obra de arte e fazer com que quem a criou e a expôs responda a inquérito policial. Neste sentido, vários setores já se manifestaram, inclusive o Ministério Público do estado. É flagrante a violação da liberdade de expressão artística, inscrita como cláusula pétrea entre os direitos e garantias fundamentais na Constituição Federal, em seu artigo 5º, inciso IX, que assim dispõe: “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”. Frise-se que a liberdade de expressão artística abrange a liberdade de criação, produção e divulgação de uma obra de arte. Tal liberdade é parte indissociável da própria liberdade de expressão em geral, princípio consagrado em vários dispositivos constitucionais e também na Declaração Internacional dos Direitos Humanos de 1948.

Não há na obra e na exposição como um todo qualquer incitação pública à prática de crime, conforme tipificado no artigo 289, do Código Penal, nem de apologia pública de fato criminoso ou de autor de crime, como tipifica o artigo 287, do mesmo diploma legal. Não há o dolo de consumar uma coisa ou outra. Há, pelo contrário, denúncia poética do machismo e do mal que o mesmo causa às mulheres, inclusive a crianças e adolescentes. A exposição “Cadafalso” é fechada, havendo inclusive restrição quanto à idade para acessá-la. Ademais, não há qualquer ato atentatório à dignidade da pessoa humana, tampouco manifestação de ódio contra coletividades de qualquer natureza, únicas situações que poderiam limitar a liberdade aqui referida. Pode-se não gostar de uma obra artística, por questões estéticas, religiosas e morais, mas jamais se pode cogitar censurá-la, posterior ou previamente.

Está claro para nós, Juristas pela Democracia-MS, que o triste fato acontecido em Campo Grande faz parte de uma escalada obscurantista, fascista e autoritária que neste momento atinge a liberdade artística e os artistas em vários lugares do Brasil. Já tivemos, em uma semana, o cancelamento (autocensura pelo Santader Cultural) da exposição “Queermuseu”, em Porto Alegre-RS, após investida do protofascista Movimento Brasil Livre (MBL), e do cancelamento de uma peça na qual Jesus Cristo era representado por uma pessoa transexual, em Jundiaí-SP. Em todos os casos, não só as ações de grupelhos fascistas causam sobressalto, como também o envolvimento de autoridades policiais, judiciais e legislativas na repressão aos artistas. Mais ainda, essa escalada se insere no quadro geral de atentados contra as liberdades democráticas promovidos por um Estado de exceção que aos poucos substitui o Estado democrático de direito duramente conquistado, e que se manifesta na criminalização política de lideranças e organizações progressistas, fornecendo o caldo de cultura para o surgimento de movimentos como “Escola Sem Partido”, que pretende estabelecer perseguição contra professores, e como o que defende a famigerada Lei Harfouche, aqui no estado.

Falar em arte indecente, imoral ou degenerada remonta ao nazismo. Será que os guardiões da moral e dos bons costumes farão fogueiras de quadros e livros novamente? O que diriam os deputados e o delegado se tivessem a oportunidade de visitar vários museus mundo afora e de contemplar obras, algumas delas até clássicas, que poderiam assustá-los bem mais que a tela “Pedofilia”, inclusive em países que muitos dos que compartilham do pensamento obtuso deles têm como parâmetro de civilização? Não podemos permitir tamanha regressão civilizacional!

Nós, Juristas pela Democracia-MS, manifestamos irrestrito apoio à artista Alessandra Cunha, à direção do MARCO, à professora Lúcia Monte Serrat Alves Bueno; ao gerente de patrimônio Caciano Lima e a todas as pessoas atingidas por essa tristemente inspirada ação policialesca. Colocamo-nos à disposição da artista para auxiliá-la em eventuais medidas que a resguardem das arbitrariedades vigentes e ulteriores que possam ser cometidas por autoridades estatais.

Campo Grande, 16 de setembro de 2017.

Atenção: Roda de Conversa HOJE!


O QUE: Roda de conversa sobre a CENSURA na Arte.
ONDE: Praça dos Imigrantes
QUANDO: 18/09/17 Segunda-Feira. As 19h.
Convocamos a todas e todos interessados para uma roda de conversa a cerca da censura que as artes de diversas áreas vem sofrendo pelo Brasil e pela nossa Capital, Campo Grande -MS.
Pautas:
*Organização e planejamento de atos e ações em manifesto à censura.
*Elaboração de documentos nos quais a sociedade cível solicita respostas públicas (notas) da parte das Secretarias Municipal e Estadual de Cultura.
Traga suas idéias e sua voz.
Vamos planejar juntos nossos gritos contra à censura.