sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Manoel de Barros

"Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas - é de poesia que estão falando." (Manoel de Barros)

"Quem anda no trilho é trem de ferro, sou água que corre entre pedras: liberdade caça jeito." (Manoel de Barros)

Ensaio teatral no TGR



Logo no primeiro horário desta manhã, alguns atores do Teatral Grupo de Risco, ensaiam cena da peça "Dois Perdidos Numa Noite Suja", de Plínio Marcos.

A ideia é apresentar a cena na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, como parte do trabalho de pesquisa dos/as acadêmicos/as de Artes Cênicas.

Nesta cena estão Yago Garcia e Leonardo de Castro, que interpretam a cena na qual Paco e Tonho saem de um assalto planejado pela dupla, neste roubam vários objetos, entre eles o 'sapato'. 



O texto é inspirado no conto O terror de Roma do escritor italiano Alberto Moravia. Dois personagens —- Paco e Tonho —- dividem um quarto numa hospedaria barata e durante o dia trabalham de carregadores no mercado. Todas as cenas se passam no quarto durante as noites. As personagens discutem sobre suas vidas, trabalho e perspectivas, mantendo uma relação conflituosa. O tema da marginalidade permeia todo o texto. Tonho se lamenta constantemente por não possuir um par de sapatos decente, fato ao qual atribui sua condição de pobreza. Ele inveja Paco que possui um bom par de sapatos e este, por sua vez, vive a provocar Tonho chamando-o de homossexual ao mesmo tempo que o considera como um parceiro. Paco, que já havia trabalhado como flautista, certa noite teve sua flauta roubada quando estava muito embriagado, entorpecido. No final, na tentativa de melhorar suas vidas, ambos são compelidos à realização de um ato que modificará radicalmente suas vidas.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Arnaldo Antunes

Da boca que beija e diz,
asas de bem te vis
eu quis, e não dos pés.
raiz.

Da tinta que fica; giz.
e da cicatriz, aqui,
eu quis a lá-
pis

Arnaldo Antunes

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

MINISTRA APROVA EMENDA PARA CULTURA



Na véspera de tomar posse como ministra da Cultura, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) conseguiu aprovar emenda à Constituição que cria o Sistema Nacional de Cultura. Relatora da proposta, a senadora negociou a aprovação da emenda em dois turnos de votação, que será promulgada nos próximos dias pelos presidentes da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Foram feitas oito "sessões relâmpago", que duraram menos de meia hora, para que a emenda fosse aprovada. 

"Agradeço de coração a unanimidade dos votos. Acho que essa é minha última fala no Senado", disse Marta. A emenda chegou ao Senado em julho, depois de aprovada na Câmara, e teve sua votação acelerada depois da indicação de Marta para a pasta da Cultura. "Fiz o acordo de suspensão de prazos para a aprovação da emenda antes de ser indicada para a Cultura" afirmou a senadora, que não alterou a proposta aprovada na Câmara. 


A emenda prevê a ampliação progressiva de recursos para a área de cultura. "A emenda não dá dinheiro para a cultura, mas agiliza a liberação de recursos para os municípios e Estados", explicou Marta. Pela emenda, o sistema vai garantir a continuidade das políticas públicas na área cultural. Vários pontos da proposta terão, no entanto, de ser regulamentados por projetos de lei, antes de entrar em vigor.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

11th BIENAL DE TEATRO DE MS APRESENTA EXTENSA PROGRAMAÇÃO ESTA SEMANA COM APOIO DO FIC/MS

Campo Grande (MS) - Com apoio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, acontecem de 12 a 16 de setembro em Campo Grande os espetáculos, oficinas, mostras, conferências e apresentações da segunda edição da Bienal de Teatro. Mais de 30 atrações esperam pelo público em ruas, teatros e espaços públicos. 

Em sua primeira edição, a Bienal incluiu e desenvolveu as potencialidades dos espetáculos, com os holofotes voltados aos grupos do interior de Mato Grosso do Sul. A segunda edição vai além. O objetivo é aproximar o que é produzido e discutido nos centros culturais do Brasil, alinhando o pensamento da classe artística de Mato Grosso do Sul com o que é moderno e contemporâneo.

Confira a programação:

Espetáculos

12 de setembro - Abertura da Bienal

Preferiria Não?, com Denise Stoklos (SP)

Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00) - Horário: 20 horas

O espetáculo de Denise Stoklos “Preferiria Não?” tem o texto de Herman Melville do seu livro “Bartleby, o Escriturário”. A dramaturgia que transformou o livro em teatro foi desenvolvida dentro da estrutura da “fita de Möbius”, do matemático August Ferdinand Möbius, figura que o psicanalista Jacques Lacan toma emprestado para enunciar quando a parte de fora e a parte de dentro de uma fita são contínuas, (em quebra de lógica ótica, em quebra de lógica linear) para demonstrar (devido a esta figura onde “o de fora” se faz perfeita continuidade “do de dentro” e “o de dentro” se faz também exata continuidade “do de fora”, pelo artifício de fazer uma dobra em uma fita qualquer e depois fechar o círculo com esta fita que se torna “meio de fora” e “meio de dentro” sempre contínua). A montagem inicia e acaba com a atriz engajada no “perpétuo movimento do mundo” – entra ação, sai ação, entra história, muda história, e o movimento do mundo permanece, fazendo-se presente alem de primeira imagem também como última imagem do espetáculo. Capa e contracapa da performance.



13 de setembro

Solo (Não Só), com Mercado Cênico (MS)

Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00) - Horário: 20 horas

O espetáculo de Patrycia Andrade, “Sólo, não Só”, é uma construção dramatúrgica que traz como base a inspiração poética de Edson Marques e Patrícia Sampaio. A atriz em sua cotidiana existência no momento contemporâneo, ao som do violino, traz o universo particular de uma personagem em que o público será testemunha da vertigem onde o seu inconsciente revela-se em uma pequena sala enquanto aguarda seus convidados para a cerimônia. Ela sutilmente retoca seu batom vermelho quando é inundada por pensamentos insanos com Nietzsche e Almodóvar.

14 de setembro

Sem Cerimônia, com Conectivo Corpomancia (MS)

Avenida Afonso Penna (gratuito). Horário: 16 horas.

“Sem cerimônia – ser cidade” tem como intérpretes criadores Franciella Cavalheri, Marcos Mattos, Paula Bueno, Renata Leoni e Yan Chaparro, do Conectivo Corpomancia. As intervenções acontecem pelas ruas da cidade sem aviso prévio e começam tranquilas com caminhadas e movimentos simples, depois se transformam em movimentos mais elaborados. A intenção é provocar um ruído no cotidiano urbano e chamar atenção para as questões do corpo.

14 de setembro

Sobre Trutas, Cibalenas e Olhares, com BR S.A (DF)

Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 20 horas.

O espetáculo apresenta o jogo entre o conto Olhar, de Rubem Fonseca, que foi o mote para a criação cênica e os desejos dos intérpretes da companhia. O conto retrata a vida de um escritor em estado contemplativo que, em um surto de inanição e por sua serviçal, concebe um poema visceral e escatológico. Auxiliado por um médico que lhe provoca a gula, o escritor recupera o ritual primitivo de se alimentar ao descobrir a relação harmônica e catártica entre os sujeitos alimento e homem. Acrescenta-se ainda, os olhares pessoais do elenco, que trazem questões como as escolhas do fazer teatral, a definição de clássico, os recursos tecnológicos, as paixões, os prazeres e os sonhos dentro e fora do universo literário de Rubem Fonseca, fazendo do espetáculo uma tragicomédia inteligente, dinâmica, instigante e saborosa.

15 de setembro

MaKunaima na terra de Pindorama, com Teatro que Roda (GO)

Avenida Afonso Penna (gratuito), às 17 horas.

A rua é um lugar propício para o jogo do teatro, não porque seja um espaço hospitaleiro, mas, justamente porque é um espaço que implica em riscos, que desafia os artistas a inventar novas lógicas do uso da cidade. Atuar na rua é dialogar com as mais diversas demandas daqueles que habitam esse espaço público. É também interferir na ordem do funcionamento desse lugar, modificando seus fluxos, e ampliando suas possibilidades lúdicas. A encenação de “MaKunaíma na Terra de Pindorama” é uma experimentação com esse jogo. A idéia é de interferir nas frestas dos fluxos da rua, propondo que o espectador acompanhe os atores em uma espécie de brincadeira ao redor de tipos que pertencem às ruas, avenidas e praças do Brasil.

15 de setembro

Inocência, com Conectivo Corpomancia (MS)

Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 20 horas.

O espetáculo de dança parte do olhar de três intérpretes com experiências distintas que se relacionam através da dança com os temas despertados por uma leitura atual do livro “Inocência”. Renata Leoni, bailarina e produtora de dança, que volta aos palcos depois de 12 anos, Camila Emboava, bailarina e jornalista, em seu primeiro trabalho com dança contemporânea e Guilherme Leoni, ilustrador e filho de Renata, pela primeira vez no palco. Publicado em 1872, o livro foi um marco do romance regionalista brasileiro e pode-se dizer que é o romance símbolo de Mato Grosso do Sul. O livro foi escrito a partir de uma viagem do autor pela região e tem grande importância na literatura nacional por retratar o sertão brasileiro de forma realista.

16 de setembro

Maria, Madalena (MS)

Teatro Aracy Balabanian (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 18 horas.

Três intérpretes-criadoras de Campo Grande, Franciella Cavalheri, Miriam Gimenes e Roberta Siqueira, mediadas por Chico Neller, diretor e coreógrafo da Ginga Companhia de Dança, tratam de questões do feminino, tendo com ponto de partida os símbolos, a Virgem Maria e Maria Madalena. Maria, Madalena, separada conscientemente por uma vírgula, vem questionar os polos que a mulher vive na sociedade atual.

16 de setembro

Encerramento da Bienal - Vozes Urbanas, com Teatro Para Alguém (SP)

Lendas Pub (R$ 10,00 e R$ 5,00), às 19 horas.

Uma prostituta entra num carro onde o cliente nada fala, e o silêncio vai incomodando-a. No trajeto, ela tenta manter um assunto com o cliente que permanece em silêncio o tempo todo, e nisso a prostituta vai revelando suas particularidades diante de sua profissão, suas revoltas, enfim sua vida, uma saga humana aparentemente desprezível mas na realidade hercúlea. Sua vivência na noite a permite colocar em questionamento todas as máscaras de felicidade que são vendidas pela mídia para justificar vidas vazias e terrivelmente tristes. Um cliente num bar deserto na calada da noite invadindo o bar pronto para fechar, sendo arrumado pelo empregado/garçom. No inicio o cliente busca apenas algumas doses de uísque para refrescar seu final de um longo dia de trabalho. Aos poucos, vemos o cliente propor um jogo perigoso ao garçom, que se vê subitamente numa situação sem saída. "Vozes Urbanas", como o próprio título já sugere, são vozes dissonantes que ecoam na cidade e sua urbe, vozes ao mesmo tempo pessoais e coletivas, solitárias e universais, que desaparecem sufocadas diante da vibração constante e infinita da imensa cidade. Nos dois textos, o público fica isolado do local da ação principal, sozinho como os personagens solitários que vagam pela noite. Seja no quarto da prostituta, seja na cozinha do bar decrépito, seja em suas casas cada um em seu computador, são seres esquecidos da encenação, tão marginalizados quanto os personagens perambulando pela cidade com suas próprias questões existenciais, em seus monólogos surdos, cada um contribuindo à sua criação das Vozes Urbanas.

O espetáculo será transmitido ao vivo pela internet no sitewww.teatroparaalguem.com.br.



Conferências gratuitas:



13 de setembro

Conferencia com La Mínima: Os palhaços do grupo La Mínima

Museu da Imagem e do Som, das 9h às 11 horas.

13 de setembro

Conferencia com Conectivo Corpomancia: Por uma porção hibrida em dança contemporânea

Museu da Imagem e do Som, das 9h às 11 horas.

15 de setembro

Conferencia com Teatro para Alguém: A Encenação, a Direção e a Fotografia em Conexão às Novas Mídias

Centro Cultural José Octávio Guizzo, das 15h às 17 horas.

Mostra de Processos Artísticos: (gratuito)

12 de setembro

Trio de Tantas – 16 horas - Camelódromo

Tantas coisas, tantos jeitos, tantas pessoas, tantos pensamentos, tantos trabalhos, tantos contextos, tantas lutas, tantas dores, tantos amores, tantas afinidades... Assim se formou o grupo Trio de Tantas. Buscando o lugar do encontro e da arte para a reflexão crítica e poética, Christiane Araújo, Gabriela Salvador e Juliana Gurgel se unem com a proposta de dialogar com o entorno através da dança, do teatro, da performance, da intervenção e da arte. A proposta é desenvolver intervenções e performances urbanas/sociais por todo o Brasil, a fim de trazer a reflexão do que fazer, para que(m) falar e como produzir arte na atualidade.



16 de setembro

Ginga em processo com “Estudos de Superfície” – 9h às 16 horas – Centro Cultural José Octávio Guizzo

No estilo ensaio aberto, a mostra de processo é uma oportunidade de estabelecer contato com o público e promover trocas entre espectadores e bailarinos. Na mostra, os intérpretes-criadores vão revelar o andamento da construção do novo espetáculo da Ginga – “Estudos de Superfície” - que está em processo de criação. O espetáculo é resultado do projeto 1, 2, 3... 25 anos da Ginga Companhia de Dança, aprovado pelo prêmio Klauss Vianna 2011 da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Classificação livre.



Workshops



11 de setembro

Workshop com Denise Stoklos: Introdução ao Ator Essencial

Centro Cultural José Octávio Guizzo, das 16h ás 21 horas



13 de setembro

Workshop com Denis Camargo: Improvisando com temas

Centro Cultural José Octávio Guizzo, das 14h às 18 horas



14 de setembro

Workshop com Teatro que Roda: O ator em teatro invasão

Centro Cultural José Octávio Guizzo, das 14h às 18 horas



Mostra Videoarte: "8 olhos e 4 olhares"

10 a 14 de setembro, das 8h as 17 horas, gratuito no Museu da Imagem e do Som

Com Helton Perez, Essi Rafael, Gabi Dias e Paula Bueno



Cine Teatro: (de 10 a 14/09 sempre as 19h no MIS, gratuito)



10 de setembro: “Édipo Rei”, peça de Sofócles, filme de Pier Paolo Pasolini

Sinopse: O filme começa em uma pequena cidade no norte da Itália. No campo, junto com algumas amigas, uma mãe amamenta seu filho, mas, por um breve instante, o pânico invade seus pensamentos. Em casa, o pai do menino teme que ele assuma seu lugar na vida e no coração da mãe. À noite, depois de uma festa, os pais dormem em um quatro. O menino repousa em outro. O pai acorda, vai ao quarto ao lado e tenta enforcá-lo. A cena se transfere para a Grécia Antiga, onde se passa originalmente a tragédia de Sófocles. Ali, o oráculo de Delfi prevê: se Laio, rei de Tebas, gerar um filho, esse o matará.



11 de setembro: “Eles não usam black tie”, peça de Gianfrancesco Guarnieri, filme de Leon Hirszman

Sinopse: Operário engravida a namorada e resolve se casar. Paralelamente, a empresa que ele trabalha entra em greve, quando ele resolve furar o movimento para garantir o emprego, entrando em embate com seu pai, que é o líder do movimento.



12 de setembro: “Romeu e Julieta”, peça de Willian Shakespeare, filme de Baz Luhrmann

Sinopse: Nesta versão para os dias de hoje da peça de Shakespeare o cenário é Verona Beach. Os Capuleto e os Montéquio, duas famílias que sempre se odiaram, têm rixas sem cessar, mas isto não impede que Romeu (Leonardo Di Caprio), um Montéquio, se apaixone pela bela Julieta (Claire Danes), uma Capuleto. Entretanto, uma apresentadora de televisão anuncia que este amor profundo acabará gerando trágicas consequenciais, em virtude desta insana rivalidade familiar.



13 de setembro: "Bodas de Sangue", peça de Federico Garcia Lorca, filme de Carlos Saura

Sinopse: Utilizando como pano de fundo o flamenco, o filme mostra um casal apaixonado de dançarinos, impedidos de ficar juntos, pois ela está de casamento marcado com outro homem.



14 de setembro: "Hamlet", peça de William Shakespeare, filme de Franco Zeffirelli

Sinopse: Hamlet (Mel Gibson), Príncipe da Dinamarca, retorna ao seu país-natal quando seu pai, o rei, morre. Ao chegar, já encontra sua mãe (Glenn Close) casada com seu tio (Alan Bates), que se tornara rei. Mas logo o fantasma do pai de Hamlet surge e conta ao filho que seu tio e sua mãe o tinham assassinado. Hamlet passa então a ser atormentado pela decisão de vingar a morte do pai ou ter uma atitude passiva em relação ao fato.



Show - Lilian Maira e Os Caramujos em Girem os Sóis

16 de setembro, 20h30, no Rockers Bar (R$ 10,00 e R$ 5,00)

Um show de comemoração às flores e coisas simples da vida. Acompanhada dos ''caramujos'' Chicão Castro, Marco Lopes, Ricardo Maissato, Gabriel de Andrade, Vladimir Barbosa e convidados o público da boa música sul-matogrossense já pode esperar pelo espetáculo denominado ''Girem os Sóis" com grande empolgação. Aqui, nesse caso ''tudo são flores sim!" Lilian que vem se achegando aos poucos na cena musical de Campo Grande com seus shows diversificados explorando a leveza das cantigas de roda, passando por clássicos da mpb, do reggae e de suas músicas autorais começou a se apresentar ainda com 12 anos de idade em palcos da capital, e solta a voz e a emoção em Girem os Sóis, um show esperado e imperdível.



Serviço: Os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia). O Passaporte para os 6 espetáculos pode ser adquirido por R$ 40,00. Combo para os 6 espetáculos + uma camiseta por R$ 60,00. Outras informações no site www.bienaldeteatro.com.br.



Márcio Breda

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Companheiras do movimento de mulheres Parceiros e parceiras das lutas contra a violência

No dia 7 de agosto marcamos mais um ano da Lei Maria da Penha. Estamos nos somando a diversas iniciativas para tentar fazer desta data um dia forte de denúncias sobre a gravidade da violência contra as mulheres no Rio Grande do Sul e no Brasil. 
O assassinato da enfermeira Marcia Calixto e de seu filho Mateus é um exemplo vivo para nós de que a violência está muito próxima, de quem ameaça mata, que o medo paralisa. E depois de mortas, as mulheres ainda são julgadas e os assassinos obtém meios para não ser devidamente punidos, como é o caso em tela, em que o homicida já está no Instituto Psiquiátrico Forense.
Esta e centenas de outras mortes, assim como todas as violências contra as mulheres devem ser denunciadas e punidas, assim como devemos lutar pelas políticas de prevenção à violência. 
No dia 7, terça-feira, a partir das 11 horas estaremos no Largo Glenio Peres.
Cada uma de nós pode contribuir para que esta atividade tenha o peso necessário. 
Estamos levando faixas, vamos com as nossas camisetas, nossos materiais, e acima de questões que possam nos separar, temos que nos unir para dar um basta à violência contra as mulheres.
Venha participar. 
Campanha Ponto Final na Violência Contra Mulheres e Meninas


Telia Negrão
Coletivo Feminino Plural
Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos
Rede de Saúde das Mulheres Latinoamericanas e do Caribe - RSMLAC

Av. Salgado Filho, 28, cj 701 - POA/RS - Brasil 
Fones 55 51 32124998 - 32215298 - 81003878 - Facebook telia negrao - Skype telia.negrao

quarta-feira, 18 de julho de 2012

É um país novo e ninguém pode negar!

           
      Como compôs Ari Barroso, Brasil, meu Brasil brasileiro (...) / Esse Brasil lindo e trigueiro / É o meu Brasil Brasileiro (...) / Brasil, colorido e festeiro, de uma “geração de brasileiras e brasileiros, lúcidos e espiritualizados”, disse o ator Marcos Frota na abertura da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Com este sentimento de pertencimento, a abertura da conferência foi prestigiada pela Secretária Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário; pelo presidente do STF, ministro Ayres Brito; ministra Tereza Campelo, ministro Alexandre Padilha e outros.

      A conferência foi realizada pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), ente os dias 11 a 14 de julho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Foi organizada em cinco eixos estratégicos, sendo eles a promoção dos direitos de crianças e adolescentes; a proteção e defesa dos direitos; o protagonismo e participação de crianças e adolescentes; o controle social da efetivação dos direitos; e a gestão da Política Nacional dos Direitos de Crianças e Adolescentes.

        O encontro teve como objetivo “mobilizar os diversos atores do sistema de garantia de direitos e a população em geral para implementar e monitorar a Política Nacional e o Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes”. Participaram mais de duas mil pessoas, sendo 800 crianças e adolescentes.

       Desde a conferência anterior vem crescendo o número de jovens em todas as instâncias do encontro, desde sua preparação até a participação. Sentimos que para os jovens foi uma experiência única, ou seja, uma oportunidade de participação efetiva e, na fala de uma delegada ribeirinha, “o espaço não foi concedido, foi conquistado”.

      “Estamos aqui para comprovar que o/a adolescente é protagonista da caminhada”, afirmou um dos delegados. E nas falas da juventude, ficou nítido que a participação das crianças e adolescentes é fundamental para essas conquistas.

     Convidado a participar com dois delegados, o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) participou do eixo “Controle Social da Efetivação dos Direitos”. Quanto à inserção do tema de segurança alimentar e nutricional nas conferências estaduais e municipais, pudemos observar em vários documentos que houve discussão sobre alimentação saudável para que as crianças cresçam mais sadias.

       Dentre as propostas aprovadas pelo grupo de trabalho, se relacionam com segurança alimentar e nutricional a criação de uma agenda política entre os conselhos de direitos e setoriais, nas três esferas da federação; e realizar campanhas educativas permanentes para a população em geral sobre a importância da denúncia sobre a violação dos direitos da criança e do adolescente.

      Observamos em dois objetivos estratégicos a relação com o Direito Humano a Alimentação Adequada com as políticas de segurança alimentar e nutricional. No eixo “Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes”, são objetivos “erradicar a pobreza extrema e superar as iniquidades que afetam o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes e sua família, por meio de um conjunto articulado de ações entre poder público e sociedade civil, com justiça social” e “erradicar a fome e assegurar a alimentação adequada de crianças, adolescentes gestantes e lactantes, por meio da ampliação de políticas de segurança alimentar e nutricional”.

         Na mesma linha da efetivação dos direitos, a presidenta Dilma Rousseff afirmou: “Um país se mede pela importância que ele dá as suas crianças”. E finalizou: “Lugar de criança é em ambiente seguro, livre de miséria, da fome e da violência dos adultos”.

        Para os mais de 800 jovens presentes na 9ª Conferência uma demanda importante é a criação de um Conselho Consultivo de Adolescentes no Conanda. O conjunto das propostas aprovadas tanto no eixo de “Controle Social da Efetivação dos Direitos” como nos outros quatro eixos podem ser acessadas nos sites www.9cndca.sdh.gov.bre www.sedh.gov.br.

     Finalizando, afirmamos que, além da troca de experiência entre conselhos, foi um momento de muita alegria e emoção participar deste processo histórico que foi a experiência da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. E para o futuro, o que nos espera é contribuir na mobilização, implementação e monitoramento da política e do plano decenal de direitos humanos de crianças e adolescentes.

Agradecemos ao Consea por acreditar e incumbir-nos de tão importante e deliciosa missão.

Por Aldenora Pereira da Silva e Paulo Sergio Matoso *


*Aldenora Pereira da Silva e conselheira do Consea, representando a Pastoral da Criança; Paulo Sergio Matoso é conselheiro do Consea, representando a Rede de Educação Cidadã (Recid).